Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente - Fundação Rosa Luxemburgo
BAIXE O LIVRO GRATUITAMENTE

Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente

O livro Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente, produzido em parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo, foi escrito por mulheres integrantes de organizações, movimentos sociais e pesquisadoras, traz uma reflexão coletiva sobre o retrocesso de direitos duramente conquistados; a violência institucional do Estado; a desregulamentação da política de proteção ambiental; as múltiplas violências sofridas pelas mulheres no contexto da pandemia e a falta de acesso a alimentos de qualidade, agravada com a crise de insegurança alimentar.

As crises geradas pela pandemia da Covid-19 transcendem seus impactos sanitários e explicitam injustiças socioeconômicas, ambientais e de gênero que são a base do padrão da acumulação capitalista. O vírus explora os próprios circuitos do capital para chegar aos lugares mais recônditos do planeta, atingindo de forma violenta comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas. Esta conjuntura também explicita a insustentabilidade e o avassalamento do modelo neoliberal extrativista e agroindustrial que destrói territórios e devasta a vida.

Em um cenário de aniquilamento da legislação ambiental, não é somente a devastação de vegetação nativa em diversos biomas que aumenta, como também os conflitos no campo e a violência contra os povos indígenas nos confrontam diariamente. É nesse contexto que as reflexões das autoras destacam as campanhas de solidariedade e de cuidado coordenadas pelos movimentos e organizações sociais, que compõem os processos de resistências e de (r)existências.

 Sobre as autoras

Organizado por Elisangela Soldateli Paim, coordenadora latino-americana do Programa Clima da Fundação Rosa Luxemburgo, o livro foi escrito por mulheres militantes  e pesquisadoras da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, do do Instituto Terramar, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, da Sempreviva Organização Feminista, da Rede Agroecológica de Mulheres Agricultoras, da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas e do Conselho Indigenista Missionário.

Sumário do livro

  • Apresentação (Elisangela Soldateli Paim | Fundação Rosa Luxemburgo)
  • Retrocessos socioambientais e a vida nos territórios (Cris Faustino | Instituto Terramar)
  • Antiambientalismo bolsonarista e financeirização da natureza em tempos de pandemia (Fabrina Furtado | Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)
  • “Quem não se movimenta, não sente as correntes que a prendem” (Kelli Mafort e Lisbet Julca | Movimento dos Trabalhadores Sem Terra)
  • O MTST, a pandemia da covid-19 e o papel das mulheres do movimento (Coletivo Nacional de Mulheres do MTST | Movimento dos Trabalhadores Sem Teto)
  • Resistindo em mutirão: território, ancestralidade e luta feminista no Vale do Ribeira (Miriam Nobre, Natália Lobo | Sempreviva Organização Feminista; e Nilce Pontes | Rede Agroecológica de Mulheres Agricultoras e Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas)
  • Mulheres indígenas: a dimensão do cuidado como potência (Iara Tatiana Bonin | Conselho Indigenista Missionário)
WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux