Charles Trocate: a atualidade de Rosa - Fundação Rosa Luxemburgo %
ROSA NOS INSPIRA

Charles Trocate: a atualidade de Rosa

Com o intuito de comemorar os 150 anos de Rosa Luxemburgo, convidamos alguns de nossos parceiros para falar sobre como foram e são inspirados pela teoria e prática de nossa homenageada. O integrante da coordenação nacional do Movimento pela Soberania Popular na Mineração, Charles Trocate fala sobre a atualidade do pensamento da nossa homenageada, além disso, destaca que a importância de uma teoria política que emancipe a classe trabalhadora de seu julgo de exploração.

Rosa Luxemburgo nasceu na cidade de Zamoṡc em 1871. Ela nos deixou uma vasta obra com contribuições sobre o desafio da emancipação humana, bem como foi uma combativa militante da causa comunista, até ter sido assassinada em 15 de janeiro de 1919, por milícias da extrema-direita na Alemanha.

ROSA LUXEMBURGO 150 ANOS POR CHARLES TROCATE

“O que é atual em Rosa Luxemburgo é o seu estilo de pensar e investigar o modo de produção capitalista, as suas formas de exploração, assim também como oferecer uma teoria política que emancipe a classe trabalhadora de seu julgo de exploração”. Charles Trocate, Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM)



CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE ANIVERSÁRIO

A FRL prepara uma série de atividades para marcar os 150 anos de seu nascimento, em 5 de março.

CHARLES TROCATE
 SEXTA-FEIRA 05  MARÇO
17:00 – CONVERSA ONLINE
O encontro Rosa nos Inspira vai refletir sobre os desafios que enfrentamos, hoje, para alcançar a utopia da emancipação humana, com a qual nossa homenageada se comprometeu.

Para realizar esta conversa, contamos com importantes contribuições, a saber:

  • Kelli Mafort – integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST);
  • Natalia Szermeta – integrante da coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto no estado de São (MTST)
  • Talíria Petrone – líder da bancada do Psol na Câmara dos Deputados;
  • Charles Trocatte – integrante da coordenação nacional do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM) bem como um dos autor do livro Quando vier o silêncio: o problema mineral brasileiro; e
  • Douglas Belchior – educador da Uneafro Brasil e ativista foi à capital para representar a Coalizão Negra por Direitos.

Para mediar a conversa, contaremos com a presença de Christiane Gomes, coordenadora da FRL. Na ocasião, também serão exibidos vídeos de alguns parceiros da Fundação.  

TRANSMISSÃO

FACEBOOK
YOUTUBE

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux