Mulheres em defesa do território - corpo - terra - Fundação Rosa Luxemburgo
CURSO DE EXTENSÃO

Mulheres em defesa do território – corpo – terra

As fotos usadas nesta arte são do Cimi, Justiça nos Trilhos, MST, MAB e MMC

APRESENTAÇÃO

Diversas experiências de movimentos sociais, organizações e pesquisadoras, têm crescentemente demonstrado como a existência de conflitos ambientais decorrentes da instalação de grandes projetos de desenvolvimento gera, por um lado, um processo de expropriação de territórios e de alteração negativa de modos de vida de quilombolas, comunidades tradicionais, agricultores e povos indígenas, e por outro, implicações diferenciadas para as mulheres, em especial, mulheres negras, indígenas e camponesas. A sobrecarga de trabalhos domésticos e com os cuidados das famílias, a violação e a exploração dos corpos de mulheres e meninas, a negação das mulheres como sujeitos políticos demonstram como as desigualdades de gênero, raça e classe são reforçadas por estes tipos de investimentos, bem como impõem a perspectiva universalizante, eurocêntrica e individualista de “gênero” nas comunidades. Ao mesmo tempo, em contextos de expansão da fronteira do capitalismo extrativista, as mulheres atingidas e ameaçadas se articulam em torno de projetos centrados na circulação e defesa da vida, do corpo, do território e da natureza e à crítica aos processos de desenvolvimento capitalista colonial, racista, homofóbico e patriarcal. Assim, buscamos refletir sobre a lógica de instalação dos megaprojetos de desenvolvimento em diversas localidades brasileiras; os impactos diferenciados que causam na vida de mulheres e como essas mulheres vivenciam os conflitos; e os processos de resistência a partir da agroecologia, da noção de mulheres atingidas e dos feminismos comunitários, territoriais e popular camponês.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

– Promover espaços de intercâmbio de saberes entre integrantes de organizações e movimentos sociais e políticos, especialmente de mulheres, e da academia.

– Identificar e analisar as violações de direitos humanos em decorrência de projetos minero-energéticos, de expansão de energia, de concessões florestais e de regularização fundiária no Brasil considerando as interseccionalidades, ou seja, a natureza interligada dos sistemas de opressão (gênero, raça, classe e sexualidade).

– Analisar o racismo ambiental e as ameaças às relações território-corpo-terra vivenciado pelas mulheres no contexto dos projetos minero-energéticos.

– Disseminar e construir outras estratégias para abordar as desigualdades de gênero, classe e raça decorrentes da lógica de desenvolvimento capitalista, racista, homofóbico e patriarcal e para defender o território-corpo-terra, em distintas instâncias da educação.

– Relacionar os impactos territoriais destes projetos em um contexto de colapso climático.

PROGRAMA

As aulas serão transmitidas às segundas-feiras (entre 04/07 a 12/09), das 16h às 15h, no canal de Youtube e Página de Facebook da Fundação Rosa Luxemburgo.

04 Jul. Sessão I: Mulheres, ambiente e território

Hora: 16h

Palestrante: Cristiane Faustino (Instituto Terramar)

Coordenação: Fabrina Furtado (CPDA/UFRRJ) e Elisangela Paim (FRL)

Texto sobre o primeiro debate:

11 Jul. Sessão II: Racismo Ambiental na Cidade

Hora: 16h

Palestrante: Emília Maria de Souza (Liderança da Comunidade do Horto/RJ)

Coordenação: Carol Pires (Assessora da Comunidade do Horto/RJ)

Texto sobre o segundo debate:

25 Jul. Sessão III: Energia

Palestrante: Camila Brito (MAB) e Tatiana Muniz (MMM Rio Grande do Norte)

Coordenação: Elisangela Paim (FRL)

Texto sobre o terceiro debate:

01 Ago. Sessão IV: Clima

Palestrante: Thaís Santos (UNEAFRO)

Coordenação: Fabrina Furtado (CPDA/UFRRJ)

Texto sobre o quarto debate:

08 Ago. Sessão V: Mineração

Palestrante: Larissa Pereira Santos (Justiça Nos Trilhos) e Rosemayre Lima Bezerra (Educadora Popular)

Coordenação: Lanna Luiza Silva Bezerra (Justiça Nos Trilhos)

22 Ago. Sessão VI: Agronegócio e resistências nos territórios

Palestrante: Valéria Pereira Santos CPT/Cerrado e Elisa Urbano Ramos (Pankararu e APOINME)

Coordenação: Sarah Luiza de Souza Moreira (Doutouranda CPDA/UFRRJ e GT Mulheres da ANA)

29 Ago. Sessão VII: Agronegócio e resistências nos territórios

Palestrante: Lucinéia Miranda de Freitas (Setor de Gênero do MST) e Itamara Almeida (MMC-RN)

Coordenação: Lisbet Julca (MST)

05 Set. Sessão VIII: Agroecologia

Palestrante: Nilce Pontes (RAMA e CONAQ) e Andrea Sousa (Esplar)

Coordenação: Natália Lobo (SOF)

12 Set. Sessão IX: Compartilhando as experiências nos territórios

Palestrante: Instituto Terramar, SOF e RAMA e Comunidade do Horto/RJ

Coordenação: Fabrina Furtado (CPDA/UFRRJ) e Elisangela Paim (FRL)


Os  encontros  serão virtuais,  sendo  divididos  entre sessões públicas, que  serão  transmitidas  pelas  páginas  do  Facebook  e  canais  do  Youtube  da  Fundação  Rosa  Luxemburgo  e  da  Coletiva  Diálogos Feministas (UFRRJ), e, sessões fechadas, realizadas pelo Zoom. Os links serão enviados por email. Inscrições encerradas.

Leitura sugerida:

Resistência e Re-Existências – Org. Elisangela Soldateli Paim – Disponível em PDF.

WordPress Appliance - Powered by TurnKey Linux